top of page

Como a CBA usará a reciclagem e o alumínio para diminuir a produção de carbono

Companhia investe mais de R$ 110 milhões em linha de separação de sucata e produção de alumínio


O alumínio é um material extremamente versátil e, por isso, é importante para diferentes setores como para o ramo de construção civil, transportes e de embalagens. Pensando nisso, a CBA, Cia. Brasileira de Alumínio – trabalha em toda a cadeia com a mineração de bauxita, produção de alumina, a fundição do alumínio primário, secundário e reciclagem de alumínio – lançou um projeto para ampliar a atuação no ramo de reciclagem nesta última terça-feira, 3, além de lançar uma nova linha de tratamento de sucata em Araçariguama (SP), na Metalex. O investimento feito soma mais de R$ 115 milhões.



Por meio da iniciativa, a CBA pretende aumentar o uso de materiais recicláveis na produção. Neste processo, o alumínio é separado de outros materiais como plástico, borracha e outros resíduos. “O alumínio consome muita energia para ser produzido, então temos hidrelétricas e 10% de parques solares que geram toda a energia que nós precisamos para gerar este alumínio. Isso que queremos dizer quando falamos que a nossa produção é 100% integrada à cadeia produtiva da empresa”, disse Luciano Alves, CEO da CBA.


A linha de tratamento de sucata permite a ampliação do uso de sucata na produção de tarugos de 60% para 80%, com isso, espera-se ampliar de 75 mil para 90 mil toneladas/ano por meio do forno sidewell, equipamento lançado ao mercado em 2021. Com esses projetos, será possível reduzir os impactos ambientais – principalmente pensando nas emissões de CO2e (toneladas de dióxido de carbono equivalente) na produção – aumentando o volume de sucata utilizado pela empresa e de produção do alumínio, ao mesmo tempo que separa e limpa a sucata.


10 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page